NOTÍCIAS

Presidente da CBAt renuncia após sequência de denúncias


O presidente da CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo), Toninho Fernandes, anunciou a renúncia ao cargo neste domingo (25).

Ele vinha sendo pressionado para deixar a posição desde a publicação de uma reportagem sobre emissão de notas frias por parte da CBAt. A decisão foi oficializada pelo site da confederação no início da tarde de domingo e ocorre um dia antes da assembleia ordinária que discutiria o caso na segunda-feira.

Em dezembro, o blog Olhar Olímpico, do UOL, denunciou indícios de fraudes em um convênio entre a CBAt e a Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude do Estado de São Paulo (SELJ). A reportagem mostrou indícios de superfaturamento, utilização de empresas de fachada e notas frias.

A maior delas era de R$ 555 mil, referentes às hospedagem de 370 atletas durante o Troféu Brasil de 2014. Toninho chegou a juntar uma lista com 370 nomes, mas o blog confirmou que ninguém ficou hospedado.

Toninho nunca conseguiu explicar para confederações e clubes onde foi parar o dinheiro. Ele teve três meses para dar explicações, e prometeu esclarecer tudo na assembleia desta segunda. Mas, sabendo do risco de ser derrubado por causa da pressão dos dirigentes de federações, optou pela renúncia.

Quem assume é o vice-presidente Warlindo Carneiro, de Pernambuco. Ele era vice desde que Toninho assumiu, em 2012. Especula-se sobre a participação do ex-presidente Roberto Gesta de Melo na decisão.

Antes de assumir a CBAt, Toninho, ligado ao sindicato dos educadores físicos, foi presidente da Federação Paulista de Atletismo (FPA). Durante a gestão dele, a entidade recebeu amplo financiamento do governo paulista, com média de mais de R$ 10 milhões por ano, uma quantia muito acima do que normalmente ocorre.

O Troféu Brasil de 2014, por exemplo, custou R$ 1,5 milhão aos cofres públicos. Já em 2018, após a divulgação da denúncia do UOL, a CBAt pediu R$ 150 mil ao COB para fazer um torneio de mesmo porte.

Fonte: UOL Esportes